Primeira Smart Community Florestal nasce no Norte do País 21 Mar 2017

Tags:

O GeoForest é uma plataforma colaborativa para a visualização e exploração de informação geográfica relativa aos espaços florestais. Dinamizado pela Associação Florestal de Entre Douro e Tâmega (AFEDT) com o apoio da Esri Portugal, este projecto pretende criar verdadeiras Comunidades Florestais Inteligentes, promovendo a partilha de informação e a colaboração no sector florestal.

A ideia é criar «uma estrutura que englobe as questões relacionadas com a defesa da floresta contra incêndios e com a sensibilização da população em geral, disponibilizando um conjunto de ferramentas de apoio à decisão», explica a AFEDT.

O GeoForest vai promover a criação de aplicações específicas de visualização de dados geográficos referente aos espaços florestais, que serão disponibilizadas através da plataforma ArcGIS e que se irão focar em cinco temas base: Colaboração, Compromisso, Consciência, Análise Espacial e Mobilidade.


Os principais destinatários são as autarquias e as comissões municipais de defesa da floresta. Segundo a Associação Florestal de Entre Douro e Tâmega, «este projecto tem como objectivo o envolvimento das entidades, proporcionando a criação de hubs de conhecimento e inovação capazes de melhorar a partilha de informação, a comunicação, a análise e a colaboração em redor de um problema comum: os incêndios florestais».

«No decurso dos incêndios florestais de 2016, apercebemo-nos que muitas entidades envolvidas no combate aos fogos desenvolviam o seu trabalho com base em informação empírica e/ou documentação em papel, alguma já bastante desactualizada», refere Edgar Barreira, Consultor de Negócios da Esri Portugal. «Daí termo-nos associado de imediato a esta iniciativa da AFEDT, disponibilizando o acesso à Plataforma ArcGIS que é, reconhecidamente, a tecnologia de Sistemas de Informação Geográfica (SIG) de eleição para a concretização de uma estratégia de gestão sustentável da floresta e para responder às necessidades quotidianas das organizações do sector».


O ArcGIS suporta todas as operações de planeamento, gestão, manutenção e actualização da informação geográfica que é utilizada na defesa da floresta contra incêndios. «Permite recolher dados precisos e fiáveis e editá-los no terreno; gerir eficazmente a informação, assegurando a manutenção e actualização contínua dos dados geográficos; disponibilizar informação técnica a qualquer momento, em qualquer lugar e a todos os utilizadores e partilhar e divulgar os elementos recolhidos e o resultado das suas análises com os diferentes agentes florestais e com as autoridades de Protecção Civil», sublinha Edgar Barreira.

Numa primeira fase, a AFEDT conta já com a colaboração da Esri Portugal e dos municípios parceiros enquanto entidades que contribuem com dados para o projecto. Numa segunda fase, o GeoForest deverá ser alargado a mais autarquias da região e ainda a outras entidades como Corporações de Bombeiros, o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e a GNR.

Para mais informações sobre o GeoForest, visite geoforest.maisfloresta.com.