Notícias

Notícias Esri Portugal

Retrospectiva ArcGIS 2012

Dezembro 27, 2012

Bern Szukalski, Estratega de Produto e Divulgador Técnico da Esri, faz uma compilação dos acontecimentos mais relevantes de 2012 para a comunidade SIG, com especial destaque para o lançamento da nova versão da Tecnologia Esri – o ArcGIS 10.1 – e das actualizações ao ArcGIS Online. Por fim, Szukalski desenha o caminho a seguir e os primeiros passos a dar no novo ano de 2013.

 

«Os utilizadores de Sistemas de Informação Geográfica (SIG) tiveram muitos motivos para ficarem satisfeitos em 2012, com grandes lançamentos de novas versões de software que incluem importantes novas funcionalidades. Estas novidades também definiram o rumo do que está para vir em 2013. Aqui está uma rápida retrospectiva do ano que passou, com um vislumbre do ano que aí vem.

 

ArcGIS 10.1

 

Claramente um lançamento significativo e uma das melhores e mais abrangentes actualizações em muitos anos, o grande marco para os utilizadores SIG profissionais da Esri este ano foi o ArcGIS 10.1, concretizando muitas iniciativas introduzidas em 2010 com o ArcGIS 10.0. Além dos novos elementos e funções que traz, o ArcGIS foi transformado, tornando-se um sistema único e completo, com capacidades online e mobile integradas para suportar uma enorme variedade de fluxos de trabalho e necessidades dos utilizadores.

 

retrospectiva1.jpg

 

O ArcGIS for Desktop recebeu centenas de actualizações e melhorias, muitas delas centradas em avançados fluxos de trabalho de criação de mapas e de edição, no aumento da eficiência e em facilitar a criação e a partilha de conteúdos. O ArcGIS 10.1 também fez progredir a ciência geográfica, através do agrupamento espácio-temporal, das análises de grupos e da correlação da ordem espacial, melhorando a nossa capacidade para visualizar padrões e tendências em dados complexos.

Também foram alargadas as capacidades de integrar e explorar imagens, as melhorias nas funcionalidades 3D e o ArcGIS Runtime, uma nova plataforma para programadores que possibilita a criação de aplicações leves e de fácil implementação ampliando as capacidades das aplicações SIG já existentes, ou integrando em outras soluções empresarias a capacidade de análise espacial geográfica que muitas necessitam.

O ArcGIS for Server, o principal motor para a alimentação da infra-estrutura geoespacial, adicionou o suporte nativo de 64 bits para os sistemas operativos Windows e Linux, possibilitando um melhor desempenho alavancando estas plataformas.

 

retrospectiva2.jpg

 

O ArcGIS for Server também foi alargado de modo a incluir métodos alternativos de instalação, tornando-se certificado nas plataformas VMWare e VCE’s VBlock e suportando o alojamento na Amazon Elastic Compute Cloud tanto em Windows como em Linux. Foi desenvolvida uma nova aplicação – o ArcGIS Server Cloud Builder – desenhada para o ajudar a instalar o seu ambiente ArcGIS for Server nos servidores Cloud da Amazon Web Services.

São demasiadas actualizações para conseguir mencionar neste texto, mas pode consultar todas as novidades em What’s New in ArcGIS 10.1.

 

ArcGIS Online


Em 2012, o ArcGIS Online evoluiu de uma simples plataforma de partilha de mapas para uma parte integrante e profundamente integrada de todo o sistema ArcGIS que continua a evoluir rapidamente e a crescer com novas capacidades baseadas na Cloud. Este ano, foram introduzidas novas funcionalidades para organizações no ArcGIS Online que estão disponíveis através de subscrições. Uma novidade que já está a fazer a diferença e alterou a discussão em torno da informação geográfica para muitos dos primeiros subscritores.

 

retrospectiva3.jpg

 

Entre as capacidades baseadas na Cloud do ArcGIS Online para Organizações estão a gestão dos recursos geográficos, a gestão de utilizadores e a publicação de serviços de mapas alojados que facilitam a criação de mapas altamente disponíveis, suportam aplicações self-service e envolvem outros utilizadores na sua Organização.

Este ecossistema de mapas web desempenha aqui um papel fundamental. Mais do que um mapa num browser, um mapa web do ArcGIS Online dentro da Esri é uma especificação que assegura que estes mapas podem ser utilizados em qualquer lado, em qualquer dispositivo e por qualquer utilizador. Esta especificação também tem evoluído ao longo do último ano com novas funcionalidades e, enquanto muitas das mudanças são transparentes e evidentes para os utilizadores finais, alargaram em muito a sua utilidade. Combinadas com modelos de aplicações alojados e fáceis de configurar, poderá resolver necessidades dos fluxos de trabalho, atingir um público mais vasto e até contar histórias, como muitas das que vê em destaque na página da Esri Storytelling with Maps (“Contar histórias com mapas”) e na página da Storytelling with Maps community.

O CityEngine Web Viewer foi introduzido na actualização de Setembro do ArcGIS Online e disponibiliza funcionalidades de visualização em 3D de cenários do CityEngine.

O Esri Maps for Office, lançado em Julho, é outra parte fundamental do ecossistema ArcGIS Online e parte da oferta de produtos Esri Location Analytics. Trata-se de uma nova ferramenta de análise que permite aos profissionais de negócio visualizarem dados através da criação e partilha de mapas interactivos directamente dentro do Microsoft Office. O Esri Maps for Office é um add-in que se encontra unicamente disponível para download pelos subscritores do ArcGIS Online. Este novo add-in da Esri disponibiliza a um novo segmento de utilizadores dentro de uma organização capacidades e mapas SIG. E, talvez mais importante do que isso, capacita-os a participar e contribuir para a criação de recursos geográficos fundamentais para as suas organizações.

 

retrospectiva4.jpg

 

Os serviços essenciais do ArcGIS Online também evoluíram ao longo do ano, com vastas adições ao World Imagery basemap, ao World Streets basemap e uma remodelação cartográfica do muito popular World Topographic basemap, também conhecido como “Community basemap”, resultado da participação de utilizadores de todo o mundo para este conteúdo. Nos “bastidores”, foram colocados novos geocodificadores e dicionários geográficos em todo o mundo e os Serviços de Tarefas evoluíram de modo a que os programadores possam estender as suas funcionalidades dentro das suas soluções geográficas.

Mais uma vez, há demasiadas actualizações para mencionar neste texto, mas poderá consultar todos os detalhes dos lançamentos do último ano na rubrica What’s new? do tópico de ajuda do ArcGIS Online.

 

Aquisições


A tecnologia e perícia da Esri foram suportadas e potenciadas através de diversas e notáveis aquisições este ano. A implementadora de soluções de Location Analytics sobre tecnologia Esri GeoIQ foi a primeira, juntando-se à Esri em Julho. Esta fusão reforçou as capacidades da Esri nas áreas do design de experiência dos utilizadores, desenvolvimento web e aplicações baseadas na Cloud.

A Maptel, baseada em Melbourne, Austrália, juntou-se à Esri no mesmo mês. A junção à Maptel, que tem sido o implementador do software para ArcPad da Esri há vários anos, irá fortalecer as capacidades de recolha de dados de campo e a generalidade da sua plataforma móvel.

Em Outubro, a Geoloqi, baseada em Portland, juntou-se à Esri, adicionando os seus conhecimentos em tecnologia mobile e trigger-based ao portfolio da Esri. A plataforma de programação da Geoloqi para aplicações móveis, combinada com o ArcGIS, irá criar ferramentas de mapeamento e geolocalização mais poderosas para o desenvolvimento de aplicações móveis e web.

 

Novos Centros de Investigação e Desenvolvimento


A Esri instalou formalmente vários centros de I&D à volta do globo, localizados em Pequim, Portland, Washington D.C. e Zurique. Muitos destes centros estão ancorados em torno das equipas adquiridas com as aquisições, reunindo a perícia, conhecimentos e visão de cada um deles e trazendo-os para o cenário de desenvolvimento de produtos da Esri.

 

Produtos Retirados

 

O ArcIMS, que foi uma plataforma pioneira para a criação de mapas na internet, foi oficialmente retirado este ano com o lançamento do ArcGIS 10.1. Apesar de ter servido muitos utilizadores e muitos mapas ao longo do seu ciclo de vida, as capacidades e a arquitectura superiores do ArcGIS for Server tornaram-no oficialmente obsoleto em 2012.

 

O caminho a seguir

 

Com 2012 atrás de nós, está montado o cenário para um ano SIG ainda mais emocionante em 2013. Não iremos revelar ainda muitos detalhes, mas, de certa forma, o caminho a seguir é suficientemente fácil de antecipar se lermos nas entrelinhas dos grandes marcos de 2012.

Pode esperar que o ArcGIS Online continue a crescer e a evoluir no que respeita às organizações SIG e com a adição das capacidades analíticas dos SIG e de serviços de subscrições esperada no primeiro trimestre, irá tornar-se ainda mais potente – verdadeiramente uma plataforma SIG na Cloud com recursos cada vez mais completos.

Assim que entrarmos em 2013, pode esperar o lançamento de aplicações fundamentais orientadas para soluções. O Operations Dashboard e o Collector for ArcGIS serão as duas primeiras e irão surgir já em Janeiro.

 

retrospectiva5.jpg

 

Iremos ter também uma nova release de um velho favorito - ArcGIS Explorer Desktop 2500 – que irá ser lançada em Janeiro, agora com uma ainda mais profunda integração com o ArcGIS Online.

O cenário em constante evolução de soluções e aplicações facilmente configuráveis irá receber muita atenção em 2013 (já a tem estado a receber internamente na Esri), por isso pode esperar muita actividade e muitos produtos novos nesta área. Também irá assistir a um grande enfoque nas capacidades 3D das aplicações móveis e dos browsers, capacidades de imagem reforçadas e muito, muito mais.

Algumas das próximas conferências, como a GeoDesign Summit em Janeiro, a Esri Federal GIS Conference em Fevereiro e a Esri Developer Summit em Março, são excelentes oportunidades para saber mais acerca destes novos projectos. Mas há muitas outras oportunidades ao longo do próximo ano se não conseguir estar presente em nenhuma destas conferências.»

 

Bern Szukalski
Estratega de Produto e Divulgador Técnico da Esri

*Leia o artigo original aqui.

Tags: Esri Portugal Esri ArcGIS ArcGIS Desktop ArcGIS Server ArcPad Mobile Eventos Community Basemaps Esri City Engine Cloud ArcGIS Online ArcGIS 10.1

© 2013 Esri Portugal  | Contactos